Reserva de Oportunidade x Aporte Mensal Regular

Parece ser a melhor época para debater sobre esta polêmica: o investidor, após a formação inicial de sua carteira, deve focar no aporte mensal regular ou deve formar uma reserva de oportunidade?

Com a queda sistêmica da bolsa na semana pós carnaval, várias ações estavam em queda livre. Boas empresas podiam ser compradas com 10%, 15% e até 20% de desconto.

Neste momento aparece sempre pessoas dos dois lados da moeda: uns dizem que é hora de aportar parte de sua reserva de oportunidade enquanto outros aguardam o início do mês para aportar.

Minha posição pessoal até aquele momento era sempre aportar no início do mês. Não tenho reserva de oportunidade. Entretanto, tenho uma particularidade: minhas contas são totalmente pagas até o dia 10 de cada mês e depois desta data deixo uma parte para eventual saque e o restante será todo aportado no início do mês seguinte juntamente com os proventos do mês.

O que aconteceu semana passada foi que antecipei o aporte do mês de março. Hoje, 02/03/2020 ainda tive alguns cascalhos que saíram de proventos no dia 28/2 e no dia de hoje. Por isso, ainda consegui comprar alguma coisinha que estava em promoção.

Entretanto, fui levado a pensar nesta polêmica e acabei buscando alguns estudos e relembrando outros que me levaram a optar pela posição do aporte regular mensal.

Quando o investidor já formou sua carteira, ele já tem definidos os ativos que quer comprar dali pra frente. Dificilmente colocará um novo ou venderá um que já tenha. Aí vem a grande questão no mês seguinte à sua formação: Ele deve aportar segundo seu método ou deve criar uma reserva para quando os preços estiverem em queda livre?

A opção de criar a reserva de oportunidade e comprar apenas em algumas ocasiões do ano é uma ideia interessante e dá a sensação de comprar barato. Creio que seja a estratégia utilizada, por exemplo, pelo Barsi, e também por vários investidores experientes que conheço.

Entretanto, me ouso a discordar destes colegas, apesar de respeitá-los. Creio que ambas estratégias são válidas e tem seu futuro bem promissor. A questão é que cada lado tem seu ponto de vista.

Pessoalmente me baseio em estudos sobre Dollar Cost Averaging (DCA) x Buying the Dip (BtD). Um estudo clássico está neste artigo AQUI. Basicamente e resumidamente, se uma pessoa guardar o dinheiro do aporte e comprar sempre nos fundos constitui a estratégia do BtD ou reserva de oportunidade pra nós. Por outro lado, uma pessoa que aporta mensalmente é adepta ao DCA.

O artigo comentando analisou as duas situações durante uma janela de 40 anos. Se comprar sempre no melhor ponto (fundo mesmo) entre dois topos, a estratégia BtD tem uma performance inferior ao DCA em 70% do tempo. Isto se a pessoa acertar exatamente o dia do fundo! Se ela errar um dia ou mais essa performance do BtD é ainda pior podendo chegar a ser inferir em 97% do tempo. Esta discrepância ocorre porque não se sabe quando realmente estamos num fundo!

O gráfico do artigo é este:

Reserva de Oportunidade ou Aporte Mensal Regular?

Veja que os pontos vermelhos são as utilizações da reserva de oportunidade. Sempre no fundo entre dois topos maiores.

Relembrando aqui nossa última crise creio que foi na greve dos caminhoneiros em junho de 2018. Este foi o último fundo mais forte que tivemos. Imagine uma pessoa que deixou seu dinheiro desde lá num CDB 100% SELIC e somente aportou na semana passada na mínima do dia 28/02.

Agora imagine uma pessoa que vem aportando todos os meses desde junho de 2018 até mês passado (e não pegou o fundo do dia 28 porque aporta sempre no início do mês, como eu).

Só mesmo fazendo um estudo e calculando estas variáveis para vermos qual estratégia se sai melhor.

Ainda não tive tempo de fazer um estudo semelhante com nosso Ibovespa, mas o farei em breve para tirar a prova no nosso mercado. Enquanto isso, vou aportando mensalmente.

EXISTE UMA TERCEIRA OPÇÃO

Existe uma terceira opção a estas estratégias polêmicas que deve ser trazida a debate. Chama-se metade ou dobro. Define-se da seguinte maneira: se a bolsa está subindo a pessoa aporta metade do seu aporte habitual. Se a bolsa está caindo ela aporta o dobro do seu aporte habitual.

Assim, uma pessoa que aporta habitualmente e mensalmente R$ 2.000 deve sempre se indagar no momento do aporte: Este mês a carteira está acima ou abaixo do mês passado? Caso ela esteja acima, aportarei R$ 1.000 e os outros R$ 1.000 guardo no CDB 100% SELIC.

Refaço os mesmos passos enquanto a carteira estiver subindo. Assim, vou fazendo minha reserva de oportunidade. No primeiro mês que a bolsa/carteira cair, aportarei R$ 4.000 pois já terei caixa para isso. Farei isso até meu caixa esgotar ou até a bolsa voltar a subir.

Veja que é um método igualmente interessante. Entretanto, também deve ser testado juntamente com as outras duas estratégias.

CONCLUSÃO

Consultando minha carteira pessoal e fazendo uma rápida simulação de junho de 2018 até agora, percebo que minha carteira se saiu melhor do que se eu tivesse guardado o dinheiro desde aquela época para aportar agora. Mas isto é óbvio, pois o período é curtíssimo (1,5 ano).

Neste intervalo minha carteira na estratégia DCA recebeu vários proventos que foram reinvestidos. Já se eu fosse comprar somente agora, o máximo que teria seria a SELIC acumulada deste 1,5 ano (tendo ainda que descontar IR).

Quero deixar claro que tenho minha opção, minha estratégia pessoal. Creio que cada investidor deve buscar suas fontes, ler bastante e chegar à sua conclusão. Nada impede que haja um debate sadio sobre assuntos polêmicos.

Eu não me importo de “mudar de lado” desde que me mostrem estudos de que o BtD é mais eficiente no longo prazo. Isto vale para qualquer assunto polêmico. Não sou defensor ferrenho de nenhum assunto. Sou estudante das finanças e gosto sempre de estar evoluindo na minha estratégia.

Só o estudante consegue se posicionar em algum tema, pois consegue demonstrar seu ponto de vista, até que alguém consegue demonstrar que o ponto de vista daquele estudante está ultrapassado. Quem não estuda apenas aceita o que os outros dizem. Isto sim, é lastimável!

PS: Não façam o estudo com a WEG, pois os Buy the Dip’ers estariam esperando ainda para aportar nela, pois semana passada não foi um fundo para WEG!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.